O Centro Universitario da Grande Fortaleza – Unigrande – lamenta a morte, por Covid-19, de Gilmar de Carvalho, na noite de sábado (17), uma pessoa notável: professor, jornalista, escritor, curador, poeta, um grande pesquisador e defensor dos costumes de nosso povo. A cultura cearense perde um grande representante. Vai fazer muita falta!

Uma pessoa alegre, dedicada e apaixonada pela cultura nordestina e pelo convívio com os saberes e os lugares de pessoas simples do sertão. Gilmar de Carvalho deixa um grande legado para a Cultura e para a Comunicação do Ceará e do Brasil. Onde estiver com certeza deve ter encontrado muita gente fascinante e encantadora para conversar sobre as tradições populares do nordeste brasileiro.

Certamente não estará sozinho, mas ao lado de rabequeiros, cordelistas, xilogravuristas, violeiros, aboiadores, artesãos e brincantes dos reisados, dos maracatus, dos pastoris e de grandes personagens da cultura popular como Patativa do Assaré, Raimundo Aninceto, Luciano Carneiro, Cego Aderaldo, entre tantos outros, proseando sobre nossa cearensidade e ouvindo o “Tirinete das Rabecas”.

Quem foi Gilmar de Carvalho

Nascido em Sobral, Gilmar de Carvalho foi Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Ceará (1971) e em Comunicação Social (1972) pela mesma Universidade. Mestre em Comunicação Social, pela Universidade Metodista de São Paulo (1991). Doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1998), quando sua tese ganhou o Prêmio Silvio Romero. Neste mesmo ano, ganhou o Prêmio Érico Vanucci Mendes, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Sua área de interesse é o das relações entre a Comunicação e a Cultura. Professor do Departamento de Comunicação Social (de 1984 a 2010). Aposentado como Professor Associado Nível 2, em fevereiro de 2010. Foi vencedor do Prêmio Rodrigo Melo Franco, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2014, com a pesquisa “Rabecas de Tradição”. 

Foi autor de diversas obras na área de tradições e culturas populares como:

  • Publicidade em Cordel – O Mote do Consumo (1994)
  • Nova Cozinha Nordestina de Sandra Getty Gentil (organização com Sandra Getty Gentil) (1995)
  • Patativa do Assaré (2000)
  • Desenho Gráfico Popular (2000)
  • Manoel Caboclo (2000)
  • O Casamento e o Divórcio da Lagartixa (organização com Patativa do Assaré) (2001)
  • Patativa do Assaré – Antologia Poética (2001)
  • Poetas do Povo do Piauí- Imaginário e Indústria Cultural (2001)
  • Poetas do Povo do Piauí – A mídia cordel (2001)
  • Neco Martins (2002)
  • Cordel Canta Patativa (2002)
  • Patativa Poeta Pássaro do Assaré (2002)
  • Bonito pra chover- Ensaios sobre a Cultura cearense (2003)
  • Mestres Santeiros- Retábulos do Ceará (2004)
  • Pequenas Horas – Babinski no Ceará (2005)
  • Tramas da cultura: comunicação e tradição (2005)
  • Artes da Tradição – Mestres do Povo (2005)
  • Cordéis e Outros Poemas (organização de coletânea da obra de Patativa do Assaré) (2005)
  • Mestres da Cultura Tradicional Popular do Ceará (2006)
  • Rabecas do Ceará (2006)
  • Rangel Escultor- O Artista que veio de Jardim (2008)
  • Cem Patativa (2009)
  • Patativa em Sol Maior -Treze Ensaios sobre o Poeta Pássaro (organização) (2009)
  • A grande arte de Estrigas (2009)
  • Patativa do Assaré – o sertão dentro de mim (organização com Tiago Santana) (2010)
  • Memórias da Xilogravura (2010)
  • Lyra Popular: o cordel do Juazeiro (2011)
  • Patativa do Assaré: Pássaro Liberto (2011)
  • Xilogravura: doze escritos na madeira (2011)
  • Onze vezes Joaseiro – Tributo a Ralph Della Cava (organização) (2011)
  • Moisés Matias de Moura – O cordel de Fortaleza (2011)
  • Antônio Bandeira e a poética das cores (organização) (2012)
  • A Lira do Poeta Expedito (2012)
  • Cordéis – Patativa do Assaré (organização) (2012)
  • O Ceará do Ednardo (2013)
  • A xilogravura de Juazeiro do Norte (2014)
  • Severino do Horto – O cordel do Juazeiro (2014)
  • Noza: O Escultor do Padre Cícero (organização) (2014)
  • Música de Fortaleza (2016)
  • Patativa do Assaré – Uma biografia (2017)
  • Tirinete-Rabecas da Tradição (2018)
  • La Femme Bateau (organização) (2019)
  • O Melhor do Patativa do Assaré (organização) (2020)
  • O Gerente Endoidou. Ensaios sobre Publicidade & Propaganda no Ceará (2018)

compartilhe