Alunos e professores do curso de Enfermagem do Centro Universitário da Grande Fortaleza – Unigrande – realizaram, nesta quinta-feira (14), atividade de atendimento à prevenção do Câncer de Mama no Posto de Saúde Waldemar Alcântara, na comunidade do bairro João XIII.

De acordo com a coordenadora do curso de enfermagem do Unigrande, professora Andréa Marques, “a atividade teve como objetivo inserir os alunos no contexto social, vivenciando ações desenvolvidas dentro da cidade com intuito de promover saúde e realizar diagnóstico precoce de Câncer de Mama”.

Durante a atividade os alunos realizaram consultas de enfermagem com exame clínico das mamas das pacientes e solicitação de mamografias para as pessoas que tinham alteração no exame clínico ou que estavam na população alvo, que é de 50 a 69 anos.

Câncer de mama: sintomas, tratamentos, causas e prevenção

Câncer de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do câncer de pele não melanoma. O câncer de mama responde, atualmente, por cerca de 28% dos casos novos de câncer em mulheres. O câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando menos de 1% do total de casos da doença. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos. Estatísticas indicam aumento da sua incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento. Existem vários tipos de câncer de mama. Alguns evoluem de forma rápida, outros, não. A maioria dos casos tem bom prognóstico.

Para o ano de 2018, foram estimados 59.700 novos casos de câncer de mama no Brasil.

Câncer de mama – Sintomas – Como prevenir – Fatores de risco – Tratamento – Detecção precoce – Diagnóstico – Cuidado paliativo – Reconstrução mamária

Prevenção

A prevenção primária do câncer de mama está relacionada ao controle dos fatores de risco conhecidos e à promoção de práticas e comportamentos considerados protetores.

Os fatores hereditários e os associados ao ciclo reprodutivo da mulher não são, em sua maioria, modificáveis; porém fatores como excesso de peso corporal, inatividade física, consumo de álcool e terapia de reposição hormonal, são, em princípio, passíveis de mudança.

Por meio da alimentação, nutrição, atividade física e gordura corporal adequados é possível reduzir o risco de a mulher desenvolver câncer de mama. Como medidas que podem contribuir para a prevenção primária da doença, estimula-se, portanto, praticar atividade física, manter o peso corporal adequado, adotar uma alimentação mais saudável e evitar ou reduzir o consumo de bebidas alcóolicas. Amamentar é também um fator protetor.

Evidências científicas sobre a relação entre alimentos, nutrição, atividade física e prevenção de câncer podem ser consultadas no documento Dieta, Nutrição, Atividade Física e Câncer: uma perspectiva global – um resumo do terceiro relatório de especialistas com uma perspectiva brasileira (abre em nova janela). As áreas de alimentação atividade física no site do INCA apresentam informações baseadas em evidências e dicas para a adoção de práticas saudáveis na vida cotidiana.

ATENÇÃO: As informações neste site pretendem contribuir com informações  sobre o câncer de mama. Em casos de suspeita, procure um posto de saúde para uma avaliação pessoal com um profissional de confiança.

compartilhe