Exposição Ana Virgínia

Ana Virgínia Freire Pinto, artista plástica cearense e ex-aluna do Unigrande, apresentou a exposição Metamórficas. O evento aconteceu no espaço O Banquete: Chef Liliane Pereira, na última quinta-feira (12), à noite.

Com curadoria de Flavia DIALENCAR, a amostra consiste em uma relação entre natureza e a cultura contemporânea, tema presente em toda obra.  Uma constante representação em como a cultura influencia a natureza e vice-versa. Uma obra minuciosamente construída e detalhada. O desenho expressivo e fluido remete a uma leitura simbólica. Provoca uma internalização muito particular em cada observador. A imagem conduz o olhar. Observa-se uma fuga constante do aspecto cotidiano da vida. Uma inspiração no que está oculto, no não dito. Um processo metódico e complexo. A manipulação de ferramentas distintas no processo de criação. Justaposição de imagens e uma maturação na reinvenção de imagens e padrões, como uma espécie de filtro de realidade. As composições refletem aspectos da memória ancestral e conduz o expectador a imergir na composição da imagem como uma imersão em si mesmo. Transcender a representação da imagem e de fatores preestabelecidos.

De autoria própria, as 49 peças apresentadas na exposição chamam atenção pela qualidade do trabalho, ao mesmo tempo que reserva um espaço para apresentar algumas obras que representam, cronologicamente, as diversas fases pelas quais Virgínia passou ao longo de sua vida artística. Sua proposta é transcender a representação da imagem e de fatores pré-estabelecidos, provocando uma catarse, uma internalização muito particular em cada observador.

Ex-aluna do Unigrande realiza exposição Ana Virgínia Freire Pinto, artista plástica cearense e ex-aluna do Unigrande

 

 

 

 

Sobre a artista

Ana Virgínia teve o primeiro contato em meados dos anos 90, ainda com 15 anos de idade, quando foi morar nos Estados Unidos. A partir da primeira tela que pintou, Acrilic on Canvas, começam a surgir as premiações.

“Aos 10 anos de idade já acompanhava minha mãe nas aulas de pintura e porcelana. Nesse meio, fui crescendo e cada vez mais permeando o mundo das artes. Após a primeira premiação recebi um convite para meu trabalho em uma exposição coletiva com artistas de renome local da cidade de Charlottesville (NW), no MacGuffey Art Center”.

Em 2001, Virgínia decidiu dedicar-se aos estudos acadêmicos e iniciou o curso de Graduação em Artes Visuais na Faculdade Grande Fortaleza, hoje Centro Universitário Unigrande.

“Na faculdade tive a oportunidade de aprender sobre técnicas de tatuagem definitiva. A experiência foi estimulante e valiosa, pois pude conhecer artistas locais e tive a honra de tê-los não só na figura de mestres, mas na figura de colegas de curso”.

Atualmente Ana Virgínia tem se dedicado intensamente a técnica de pintura acrílica e técnicas mistas.

 

Por: Franzé de Sousa

compartilhe