Webinar – Ferramentas Cooperativas para Atuação Jurídica: Um time de especialistas da Ordem dos Advogados do Brasil, seção São Paulo (OAB/SP) estrará discutindo sobre como “construir pontes entre o advogado e o cliente”.

Palestrantes: 

Ana Luiza Isoldi Presidente da Comissão da Advocacia na Mediação e na Conciliação da OAB SP

Fabiana Junqueira Middleton Quezada Presidente da Comissão de Direito Sistêmico da OAB SP

Mônica Ribeiro de Andrade Gama Presidente da Comissão de Práticas Colaborativas da OAB SP

Viviane Pereira de Ornellas Cantarelli Presidente da Comissão de Justiça Restaurativa da OAB SP

Moderador: Fernando Cattelan Cordeiro Presidente da Comissão de Direito Sistêmico da OAB SP, Subseção do Tatuapé.

Realização:  Comissão da Advocacia na Mediação e na Conciliação da OAB SP

Comissão de Direito Sistêmico da OAB SP

Comissão de Práticas Colaborativas da OAB SP

Comissão da Justiça Restaurativa da OAB SP

Apoio:  Comissão de Cultura e Eventos

Certificado de participação:

Será conferido certificado para o participante que estiver com nome completo na plataforma Zoom. Fica sob total responsabilidade do participante renomear seu nickname. Não haverá nova emissão de certificado para nome declarado incompleto e ou errado.

Ao adentrar a sala virtual o campo para nickname e e-mail aparecerão automaticamente. Caso isso não ocorra, acesse as configurações de sua conta e realize as alterações no perfil.

Registramos que o prazo para emissão de certificados é de até 60 dias, a contar da data do evento. Quando da emissão do certificado, o inscrito receberá um e-mail da Comissão de Cultura e Eventos da OAB SP, com número de protocolo e link para download do arquivo pelo site da OAB SP.

Data: 16 de outubro de 2020

Horário: 10h às 12h

Local: Evento online via Zoom
Realização: OAB/SP

Inscreva-se gratuitamente e Participe!

Acesso a sala virtual:

Os inscritos receberão o link para acesso a sala do aplicativo Zoom, assim que realizarem a inscrição. Um lembrete será enviado 1 dia antes do evento.

OAB – História

A Ordem teve a sua criação prevista em 1843 pelo Instituto dos Advogados do Brasil, mas somente 87 anos depois foi instituída a Ordem dos Advogados. A OAB é o primeiro filho da Revolução de 1930. Em 3 de Novembro, Getúlio Vargas assume o poder. Em 18 de novembro ele cria a OAB. O ato decorreu do Decreto n.º 19.408, de 18 de novembro de 1930, da lavra do Chefe Executivo Nacional, Getúlio Vargas, então elevado ao poder pela recente Revolução de 1930, desencadeada um mês antes, em 3 de outubro.

A palavra Ordem, oriunda da tradição francesa, está vinculada à tradição da Idade Média, podendo ser entendida como um conjunto estatutário que determina um modo de vida reconhecido pela religião católica, tal como à Ordo Clericorum ou às ordens de cavalaria. O advogado era então uma espécie de cavaleiro das leis. Apesar de a Revolução Francesa ter extinto todas as corporações profissionais, a tradição manteve-se quanto à denominação da palavra Ordem, inspirando o nome de várias entidades corporativas relativas aos advogados em diversos países, inclusive em Portugal e no Brasil.

A Ordem dos Advogados do Brasil, assim instituída no plano nacional, é composta de Seções (Seccionais) instaladas em cada um dos Estados da Federação. Foi, pela legislação antiga, uma autarquia federal de caráter corporativista, tal como o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA) e o Conselho Federal de Medicina (CFM). Hoje, segundo jurisprudência recente do Supremo Tribunal Federal, no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 3026, passou a ser considerado serviço público independente, sem vinculação ao Poder Federal, goza de imunidade tributária, tem fins lucrativos, é autônomo, é independente e seus funcionários são contratados pelo regime da CLT, sem necessidade de prévio concurso público.

compartilhe